Youtube está forçando você a assinar o YouTube Premium



 Desde o lançamento do YouTube Premium no Brasil em setembro de 2018, o YouTube se tornou extremamente chato. As medidas tomadas pela Google para mostrar as vantagens de se assinar a versão Premium tem dificultado a vida das pessoas que não podem pagar o serviço.

A quantidade de propaganda nos vídeos aumentou drasticamente e agora são exibidos 2 anúncios seguidos, tornando o aplicativo e site do YouTube bem similar a outros aplicativos e jogos que são uma verdadeira bomba de propagandas. Além disso, pop-ups aparecem com frequência oferecendo a assinatura do serviço, ocupando a tela toda no smartphone e também atrapalhando no site, sempre no canto inferior esquerdo dos vídeos.

O que o YouTube esqueceu é que a maioria esmagadora de sua audiência e, por consequência, sua renda vem de países emergentes como Brasil, China e Índia que tem uma população grande e alto índice de desigualdade social, o que inviabiliza a manutenção da assinatura do YouTube Premium para uma boa parcela da população por ser um gasto a mais no final do mês.

Uma alternativa que a Google poderia adotar seria a divulgação do serviço Premium na página inicial e em outras seções que não sobre os vídeos, já que o YouTube é um dos 10 sites mais acessados do mundo com bilhões de visualizações mensais de acordo com dados aproximados do SEMrush, um site especializado na análise do tráfego de dados na Internet.

(Fonte: Reprodução/SEMrush)
Com essa medida a Google não afetaria a utilização do serviço e ainda assim conseguiria atingir seu objetivo de divulgá-lo, criando empatia entre os usuários que com certeza iriam compartilhar com outros as vantagens de assistir a vídeos no YouTube sem propagandas pagando pouco por isso, mas o efeito tem sido exatamente o contrário: a reprovação dos usuários e consequentemente uma leve queda em sua quantidade de acessos.

Obviamente o YouTube não seria "destruído" por estar poluído de propagandas, mas fazendo uma breve analogia com política em geral: quando a população está insatisfeita com seu governo, ondas de revolta acabam ganhando força, e do meio dessa insatisfação crescente talvez possam surgir novas alternativas de um gênio em alguma parte do mundo que também esteja indignado com as medidas tomadas pela administração do YouTube e crie uma nova plataforma de streaming de vídeo que seja atraente para criadores de conteúdos e público em geral e também sólida o suficiente para entrar em jogo.

Além disso, até mesmo uma outra gigante como Microsoft e Apple decida aproveitar da insatisfação dos usuários em geral e crie uma concorrente a altura do YouTube, o que não seria nada mau pois o mercado de streaming de vídeos é totalmente monopolizado pelo YouTube, o que é extremamente ruim por permitir a liberdade para fazer o que bem entender com este tipo de serviço.

Como usuários assíduos do YouTube, cabe a nós cobrar a empresa, pois somos nós usuários que fazemos a engrenagem girar, sem nossa audiência o YouTube não é nada, mas como ele é a principal plataforma para vídeos em geral ficamos de mãos atadas, a mercê de suas vontades, mas como já dizia o ditado: quem arrisca, não petisca.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.