Custom Roms ainda valem a pena?

O sistema Android é conhecido por ser um sistema operacional de código aberto, que facilita a diversidade de versões. A Cyanogen Mod (atual Lineage Os) é uma delas.


 O Android é o sistema operacional mais presente em dispositivos moveis, e as empresas que o utilizam tem um grande trabalho para deixa-lo com a identidade da empresa. Algumas marcas optam por usar o Android "puro" como os aparelhos da própria Google, entretanto, há aquelas versões mais modificadas como a One Ui da Samsung. Cada empresa coloca os recursos que julga necessários para cada categoria de usuário e aparelho, mas sempre utilizando o código do Android como base.

Mas nem tudo são flores

Como cada empresa customiza o Android da maneira que quer, elas ficam responsáveis por cada atualização do mesmo. Logo, quando a Google libera uma nova versão do SO, as empresas tem que modifica-la para só depois libera-la para os aparelhos, o que acaba fazendo essas atualizações demorarem bastante tempo para chegar ao usuário final (como é o caso do Moto Z2 Play, que após toda a Linha Moto receber o Android 9.0 Pie, ainda espera pela versão beta dele), ou simplesmente não chegarem, o que facilita a fragmentação do Android.

E onde entram as Custom ROM?

As Custom ROMsão distribuições não oficiais do sistema Android, que foram criadas com o intuito inicial de liberar o potencial de personalização do SO, sendo uma alternativa ao sistema oficial que vinha nos aparelhos e dando opções como: Mudar a tela de bloqueio, alternar as cores do sistema, opções de controle do processador, escolher quais aplicativos viriam pré-definidos no sistema, entre outros. Além disso, as Custom ROM possibilitavam que aparelhos que não recebiam mais atualizações oficiais, tivessem mais versões do sistema. 

Ou seja, se algum aparelho parasse de receber atualizações na versão 5 do Android, ele poderia por meio de uma Custom ROM ser atualizado para a versão 6. Assim, a primeira vista as Custom ROM seriam um meio de atualizar seu celular e manter seus recursos. Alguns aparelhos seguem até hoje imortalizados por elas, celulares como o Moto G1 que nasceu no Android 4.3, foi atualizado oficialmente ate o 5.1 e por meio das custom ROM segue atualizado com o Android 9.0, com o mesmo desempenho de um aparelho que acabou de sair da fábrica.O principal problema de tudo isso é: Não são todos os dispositivos que tem suporte as Custom ROM, ou que tem algum desenvolvedor que mantenha-as estáveis e livres de bugs, o que acaba tornando-as inviáveis.

As Custom ROM continuam sendo uma boa alternativa quanto a personalização, mas é sempre recomendado utilizar o sistema original do dispositivo pois, mesmo ele sendo mais desatualizado em alguns casos, ele continua sendo mais seguro e tem mais garantia de funcionamento. Só use Custom ROM se você realmente souber o que está fazendo.

E você, tem alguma experiência com esses sistemas alternativos? Conte ai nos comentários!



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.